Para ler um poema

Talvez você não goste de poesia. Se quiser dar uma chance, posso ajudar. 🙂 Se você consegue ver o mundo e interpretá-lo de alguma forma, meio passo andado. Se suspira ao ver um casal de velhinhos de mãos dadas… Se uma flor no caminho para casa é capaz de tirar um sorriso seu… Se um ventinho no seu rosto parece anunciar que algo de bom vai acontecer, pronto, já está com os dois pés a postos para caminhar nesse roteiro de palavras e espaços chamados versos, que são a trilha para um poema.

Esqueça um pouco as dedicatórias pessoais e a análise escolar de número de versos e rimas, ou você vai dissecar o poema pelo lado mais chato de todos. Ou vai querer desossar o animal sem nem saber de que bicho se trata.

Talvez você goste de ler e leia muito rápido, mas o poema é uma síntese que você precisa descondensar. Dê-se um tempo para gostar dele. Pense nas palavras, na emoção que elas evocam. Há estranheza? Pode ser. Se o poema chamar sua atenção por algum motivo, pare. Pode ser que o seu cérebro já tenha entendido tudo antes de você e agora será preciso fazer o caminho inverso. Lembranças, associações. O que essas palavras poderiam significar no seu mundo? Não se preocupe com o que o autor quis dizer, pois já foi dito, e se o poema não for um pouco seu também, de nada vai adiantar.

Um poema especial que é parte meu e pode ser parte seu também:

Para Atravessar Contigo o Deserto do Mundo

mulher poema caminho poesia
De Kelogs Loops

Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei

Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso

Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo

Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento

Sophia de Mello Breyner Andresen, in ‘Livro Sexto’

 

O poema é lindo e isso é fácil de ver. Ele começa com essas repetições de “para”, “para”, “para”, e isso indica que é muito importante para essa pessoa concretizar algumas ações. Talvez ainda mais relevante do que as ações seja um certo alguém (“contigo”), pois antes mesmo de listá-las, esse interlocutor já é revelado. A seguir, sabemos que as ações são “atravessar o deserto do mundo” – vamos imaginar como é atravessar um deserto.

deserto caminhada poema

Cansativo, doloroso, incômodo… E esse deserto é o próprio mundo, ou seja, uma cruzada necessária, mas lembremos que ela não vai fazer isso sozinha. O “terror da morte” é a síntese de todos os medos; a morte terrena, a morte do amor, mas ela quer perder o medo e buscar a verdade. Será que a verdade é mesmo dolorosa? De alguma maneira esse verso me passa uma ideia de que, para conhecer a sua “verdade”, a “verdade” das coisas, é preciso atravessar o mundo. “Não é digno de saborear o mel, aquele que se afasta da colmeia com medo das picadas das abelhas.” (William Shakespeare)
São versos pesados, porém concluídos com uma sutileza: “ao lado dos teus passos caminhei”. O “tu” aqui é muito importante, porque para viver, caminhar, descobrir, vencer os medos e até mesmo morrer, ele caminha ao lado dela.

A essa altura, o poema já pode começar a ser um pouco seu. Quem será o “tu” do eu-lírico? Não sei. Talvez Deus, talvez um amor, um grande companheiro. E para você?  Claro que eu também já penso em quem está ao meu lado em todos os momentos, eu também tenho um amor. Mas será que não é uma responsabilidade muito grande para outra pessoa ter de fazer tudo isso por mim? Eu estou passando por muitas mudanças. Tenho a sensação de que tudo em que baseei minha vida até certo momento ruiu. Foram grandes decepções. Já vivi toda a tristeza que isso pode trazer. Já chorei, já neguei… Eram bases tão essenciais da minha vida, que a partir do momento em que não existem mais, eu tenho dificuldade até mesmo de saber quem sou eu. Agora estou em uma transição que vai de enterrar meu velho eu, mas sem saber ao certo quais partes eu gostaria de manter, e construir algumas novas partes em mim, o que é libertador, mas inspira medo. É como se até outro dia eu estivesse dando as mãos para atravessar o deserto do mundo com uma pessoa, mas ela virou um monstro de computação gráfica que eu nem mesmo posso acreditar ser real. É triste, mas abre uma porta muito grande para um novo tipo de felicidade que só eu posso contruir… Para mim esse “tu” é o meu novo eu, que talvez seja o mais antigo eu de todos. A pessoa que já existe dentro de mim, mas que eu nunca deixei ser. Para mim, a busca pelo “outro”, constantemente é a busca por si mesmo. Para atravessar o mundo, vencer o medo e ver a verdade, eu vou precisar confiar muito nesse meu eu perdido em algum lugar.

Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso

Para alcançar essa “pessoa”, tê-la ao meu lado ou sê-la, “deixei meu reino”, “meu segredo”. No seu reino, tudo está bem, tudo conspira a seu favor. Talvez esse reino seja o que chamam de “zona de conforto”. O seu segredo é o que você não mostra para ninguém, mas talvez por isso mesmo fique apagado em algum lugar que nem você saiba mais onde está. A noite é rápida para quem não tem preocupações e, se você vive nesse mundo só seu sem se desafiar a nada, é bem provável que o gesso te proteja de muitas feridas da vida, assim como o silêncio. Pense como é preciso se comunicar de alguma forma para entender o que você está sentindo.

Acho que agora você pode ler o restante e gastar alguns minutos tornando esse poema um pouco mais seu. Talvez eu já tenha te influenciado muito. Só sei que sair dos jardins do paraíso é deixar um estado onde não há bem, nem mal; nem alegria, nem tristeza. Não há escolha. Não há alegria da vitória, não há decepção, não há sentimento.

“Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento”

Compartilhar isso aqui foi importante para mim. Parece que a cada vez percebo com mais nitidez que não saber pode ser algo muito bom. Nós ficamos muito inseguros quando nos cobramos saber tudo. E sempre vai ter aquela parte de nós que prefere permanecer como está e aquela outra parte que nos empurra para frente e quer mais do que tudo atravessar o deserto do mundo! Os gestos do meu novo eu vão me ajudar a viver em pleno vento, tenho certeza. 😉

mulher liberdade poema aquarela

De Kelogs Loops

Anúncios

18 comentários sobre “Para ler um poema

  1. Não é por nada não, mas também adorei seu blog. Ainda mais depois desse texto, que mostra que poesia não está só em quartetos com sílabas poéticas contadas. Realmente, poesia é tudo que está nossa volta.

    Sua escrita é linda, leve mas ao mesmo tempo profunda, deixando claro o que quer dizer.
    Voltarei com frequência.
    Beijos :*

    https://alittlemess.com

    Curtido por 1 pessoa

  2. Valéria…

    Foi muito interessante ver que a sua interpretação do poema, o seu poema, é sobre essa grande transição que você está vivendo. O que me leva a contar sobre a minha interpretação, o meu poema, e o quero te dizer a respeito dessas transformações.

    Quando eu li esse poema, imaginei, já, desde o primeiro verso, a minha jornada para fora do Brasil, a minha mudança à Suécia, para ver a verdade, para perder o medo. Para mim, esse poema se encaixou perfeitamente nesse grande episódio da minha vida, que está a se desdobrar até hoje. Também se encaixou muito bem em relação a todos os desafios e as dificuldades imensas que tive (e tenho) nesse período de mudanças radicais, para aprender a viver em pleno vento.

    É isso que queria te dizer. Eu mudei profundamente desde que saí do Brasil e acho que mudei para melhor, pelo menos do meu ponto de vista. Quando olho a pessoa de 25 anos que deixou o Brasil, penso que não queria ser aquela pessoa hoje – ok, talvez uma coisinha ou outra pudessem ficar como a alegria. Mas eu cresci tanto intelectualmente, por conta dos estudos, das lindas conversas com o Erik, das minhas observações, que não como querer trocar o que ganhei neste tempo.

    É bom mudar, não há o que temer. Existem alguns riscos, sim. Por exemplo, algo que vivencio frequentemente é a falta de compreensão e entendimento mesmo sobre a nova Camila. Certos amigos insistem em ignorar que você é uma nova pessoa, exigindo que você corrobore comentários que não tem nada a ver com o seu novo eu. As pessoas têm muita dificuldade em entender e aceitar que um amigo(a) não vai ser o(a) mesmo(a) por vinte anos. Socorro! Imagine se fosse assim? Ninguém mudando nunca? Minha família se comporta da mesma maneira, chegando ao ponto de ficarem bravos.

    Eu acho que você já tem uma boa ideia do seu novo eu, que você deixou escapar no texto: “Para mim esse “tu” é o meu novo eu, que talvez seja o mais antigo eu de todos. A pessoa que já existe dentro de mim, mas que eu nunca deixei ser.” Pode parecer que vou contradiz tudo o que acabei de escrever, mas é incrível também como essas mudanças de construção de um novo eu nos levam mais próximas do nosso eu original de lá atrás. Esse que a gente nunca deixou ser.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Camila, que lindo seu comentário. Fiquei só pensando uma coisa… não sei se eu te captei desde o princípio, mas mesmo que você tenha evoluído de mtas maneiras, para mim você já era essa pessoa. Quero dizer, quando você ainda não tinha viajado tanto quanto agora, p/ mim vc já tinha esse espírito de viajante, sabe? Mesmo que ainda não tivesse nem pós, nem mestrado, nem todas as outras coisas, trabalhos, experiências, para mim você já era a pessoa que faria tudo isso! Sinceramente, até o Erik seria a pessoa p/ vc na minha opinião!! Ou seja, tudo que acontecia antes é que estava desencaixado com a Camila que você é agora. E, olha, ainda acredito que venha muuuito mais por aí!! Bjs, Camis e obrigada 🙂

      Curtido por 1 pessoa

  3. Val, como pediu, vir aqui lhe fazer uma visitinha. E ual, que blog máximo, eu super gostei desse post e do poema acima, também vi um do dia dos namorados sobre Camões e me fez lembrar do colegial, nostalgia pura. Seu blog é muito lindo e está de parabéns. Gostaria até mesmo de formar uma parceria com você, o que acha?
    Sucesso!!
    #nini #estaçãoimaginária

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s