A sociedade dos mais de 30…

Sexta-feira é dia de poesia aqui no blog. Esta semana, foi muito comentado o estupro coletivo sofrido por uma adolescente. Entre os vários dados citados, é impossível conviver com o fato de uma mulher ser estuprada a cada 11 minutos no Brasil; acontecerem cinco espacamentos a cada dois minutos; 179 agressões por dia etc. Tudo isso é muito triste, devastador, fico sem palavras. Por isso, deixo aqui o poema da Alessandra Capriles, que soube externar tudo o que estamos sentindo. Beijos!

Verás, ou não Veraz...

As lágrimas correm por sua face
A tentar cobrir a dor e a vergonha
De tanta força abrupta sobre seu corpo
Naquela praça seca como a saliva morta na boca
Sua alma dilacerada sob a carne rasgada
Dos pés à cabeça, por entre pernas
E marcas da navalha violenta do expurgo humano
De mais de 30 com seus imundos falos
Facas, pedras, armas, guilhotinas gargalhadas
No brado da peleja covarde contra o corpo e o verbo
Contra o olhar desacordado punido por seu gênero
Em cruel desvantagem ante tanta falta de senso
Quebra moral despedaçada no chão, sob teto
Olhares e risos da fanfarra bandida da psicopatia
Do caráter falho de uma sociedade de mais de 30
Da justiça ímpia que impõe o decoro imundo
Que vulgariza a imagem da desigualdade
Que luta de sol a sol contra uma cultura alfa
Que idolatra os atos de mais de 30 e…

Ver o post original 259 mais palavras

Anúncios

21 comentários em “A sociedade dos mais de 30…

      1. Acabei de ir pra lá… Vale a pena ler. Uma pena que seja inspirado numa realidade tão desumana. Mas para isso também vivem os poetas – para denunciar e retratar a vida em seus aspectos mais difíceis. Abraços

        Curtido por 2 pessoas

    1. Alessandra, achei maravilhoso o poema, a sua capacidade de captar o momento, os sentimentos, tudo. Obrigada por me deixar republicá-lo aqui, qualquer coisa, me fale. Bjos!

      Curtido por 1 pessoa

      1. É inaceitável que busquem justificativas para esse horror! Que eles vejam que mexeu com uma, mexeu com TODAS! E a gente faz barulho e se une mesmo. Que essa guria receba todo o suporte que precise, para retomar a própria vida. Porque eu sigo indignada e enojada na mesma proporção com esses monstros.

        Curtido por 1 pessoa

  1. Oi val, nossa fiquei besta em ler as estatísticas – são simplesmente inacreditáveis – como chegamos a uma violência desse tamanho? o que fazer para mudar esse quadro? me sinto tão incapaz e pequena frente a toda essa realidade – devastador!
    Beijos amiga!

    https://viciolicito.wordpress.

    Curtido por 2 pessoas

  2. Oi, Val!

    O que dizer do poema…?
    Tão triste e verossímil…
    E infelizmente retrata a realidade de tantas mulheres por aí!
    Olhando-se para todos os lados, só vemos monstros passando-se por humanos.

    XOXO,

    Marcela Carvalho.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s