Triste

O tema é uma onda que deságua e volta para o mar continuamente. Algo que preciso tanto expressar de alguma forma, mas depois que já falei em voz alta, parece que seca novamente. Seca, mas brota de novo, todo dia, uma planta ruim.

watercolor_butterfly_by_nerluk123-d2nf2bt

Quando criei o blog e falei sobre a pedra nº1, foi tão bom. Falei de um modo estranho, mas que me fez contornar a pedra e encontrar um caminho muito mais bonito e mais “eu” do que aquele em que estava antes.

Eu estou muito cansada. Quero falar algumas coisas, quero sepultar os sentimentos ruins de alguma maneira. O problema é que agora não é mais pedra, é uma montanha bem alta, que não dá para escalar e dizer adeus, é uma montanha do dia a dia, que não importa aonde eu chegue em 24 horas, na próxima manhã, lá estará ela novamente, do ponto zero, eu e as plantinhas rentes ao chão olhando para essa imensidão de rocha e nos perguntando o que fazer. A diferença é que não sou planta. Elas não têm a opção de sair e eu não tenho a opção de ficar, ali parada, esperando a fotossíntese.

Aprendi que não se enterram sentimentos, o que falei no outro parágrafo está errado, não passa de uma vontade errada. Os sentimentos se esvaem no ar, como dentes de leão, é a única forma que eles sabem morrer, eles precisam se desfragmentar ao vento. Pode tentar guardar amor, raiva, qualquer um deles a sete palmos, em um cofre a sete chaves, e constate que dessa forma eles se sentem tão queridos e cuidados, que dobram de tamanho, como uma massa de pão que esperava apenas esse calorzinho para crescer de verdade.

Sou uma pessoa naturalmente super lenta, mas que precisa correr muito. Minha vida está em descompasso com a minha natureza. Eu gosto de fazer as coisas com calma, pensando, demorando, e isso não é possível. Estou tentando aliviar minha subida da montanha pelo menos hoje…

No começo do dia me sinto ao pé da montanha e, ao fim, soterrada por ela. Se você conhece qualquer pessoa que cuide de um idoso, pense que talvez ela goste apenas de seus próprios clichês, e os alheios cansem antes de serem proferidos. Talvez ela não aguente mais ouvir sobre o ciclo da vida. Talvez ela esteja cansada de um trabalho que não chega a lugar algum. Talvez ela esteja esgotada por nada ser o suficiente. Talvez ela ainda não tenha resolvido os conflitos do passado, e as famílias não sejam perfeitas, nem todas as mães sejam as melhores do mundo. Talvez não seja uma boa ideia dizer a ela que falta fazer mais algumas coisa, porque talvez ela já esteja soterrada pela montanha de ter de viver a vida de outra pessoa, e limpar tudo, e fazer todas as refeições, e dar bronca, e comprar fralda, e conversar por duas horas com a fisioterapeuta para ouvir que a incontinência urinária pode ser uma forma de chamar minha atenção.

Isso acabou comigo ontem. E hoje a montanha já está lá de novo e o caminho machuca, porque você tem de correr a subida, sem ar, ofegante, e não sabe nem para onde está indo. O fato de eu não conseguir ler um livro de cem páginas em uma semana acaba comigo, me joga do alto dessa montanha, quicando por entre as pedras. O fato de eu não conseguir concretizar minhas ideias e ainda ouvir das pessoas que nada é o suficiente, que deveria haver mais alguma atividade. O fato de existir um alguém que poderia aliviar a mochila pesada que levo montanha acima e ter de ouvir dela “se der certo, vai ser muito bom”, como se eu estivesse falando de alguém que não fosse sua própria raíz, despedaça um espaço que já foi o mais doce do meu coração.

Estou super triste com tudo isso e eu tenho de trabalhar agora. Eu queria aprender como ser menos emoção, tudo o que eu fizer hoje vai ser ridículo.

Como eu não consigo ler cem páginas em uma semana, vou deixar um poema hoje. Estou trocando os dias. Hoje tem poema. Se eu fosse poeta, escreveria um bem triste.

Eu Escrevi um Poema Triste

Eu escrevi um poema triste
E belo, apenas da sua tristeza.
Não vem de ti essa tristeza
Mas das mudanças do Tempo,
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza…
Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel…
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves…
E das cartas que me escreves
Faço barcos de papel!
Mário Quintana, in ‘A Cor do Invisível’
Beijos.
borboleta livre aquarela gif animado
Eu amo borboletas.

 

Anúncios

42 comentários sobre “Triste

  1. Val querida,

    Sei bem o que está sentindo pois há anos venho tentando transpor minha montanha e alguns dias são muito, muito cansativos, eu sei …

    Seu post me fez lembrar um poema de Adélia Prado que diz ” De vez em quando Deus me tira a poesia. Olho pedra, vejo pedra mesmo”.

    Ao longo dos últimos anos, venho aprendendo com muita dificuldade e muito lentamente, que Deus pode transformar minhas pedras em poesia e tenho certeza que a sua montanha também te renderá muita poesia de vida. Um pouquinho dessa minha experiência está registrada num outro cantinho (amo escrever, pena que tenho tão pouco tempo para isso!). O post inicial foi escrito quando completei 43 anos e deu nome ao blog (quatro ponto três), quando tiver um tempinho, passa por lá !!

    https://quatropontotres.wordpress.com/2015/10/22/quatro-ponto-tres/

    Beijos !!

    Curtido por 2 pessoas

  2. Val, não sei o que está acontecendo e o que vou dizer é um clichê, mas de uma forma ou de outra a gente sempre resolve as coisas, seja aceitando essas emoções indesejadas, seja de fato mudando a situação.
    Eu tinha diversos problemas emocionais, ainda tenho, na realidade, mas algo que tem me ajudado é aceitar que estou triste.
    O meu problema sempre foi ficar remoendo as coisas, agora eu simplesmente aceito que estou triste, e ai, passa aos poucos… Enfim, provavelmente isso que to te dizendo é algo que já falaram, e a propósito algo irritante em estar triste é todo mundo ter um palpite sobre como resolver, como se a gente não tivesse tentado mudar hahhahah
    Acho que o meu comentário está super contraditório, mas, de qualquer forma, saiba que caso você queira alguém pra falar sobre a sua montanha, estou aqui! Tenho certeza que um dia essa montanha será apenas uma paisagem, dessas que a gente só vê quando olha pra trás.
    Um beijo, espero que o seu dia seja bom ♥

    Curtido por 4 pessoas

    1. Oi, Bárbara, obrigada pelo seu comentário e por compartilhar suas experiências comigo. Não achei contraditório, essas coisas são assim mesmo, complexas, né? Muito obrigada mesmo por tudo o que escreveu, espero que você também esteja bem. 🙂 Beijos!!

      Curtido por 3 pessoas

  3. Val,
    Poderia tentar lhe dizer palavras de consolo, de ânimo, de força, de fé, de “tudo isso vai passar”, “aguenta firme”, “amanhã é outro dia” etc etc.
    Mas sei quando estamos cansadas de ouvi-las.
    Então, nessa manhã em que sua tristeza me fez sentir também triste, faço uma oração silenciosa. Sinta-se abraçada por essa sua amiga blogueira daqui. Bjs

    (tentei enviar o comentário antes, mas parece que não foi… então, tento novamente)

    Curtido por 2 pessoas

    1. Oi, Alê!
      Seu comentário havia ido par o spam, mas consegui resgatá-lo! Ainda bem, pois foi muito especial para mim.
      Obrigada por compartilhar palavras tão doces.
      Beijos! ❤

      Curtido por 1 pessoa

  4. Oi, Val!
    Sei como é difícil e ao mesmo tempo importante colocar esses sentimentos para fora.
    Mas só você sabe o que significa, exatamente, a prova que está passando, então, não vou sugerir nenhuma fórmula mágica para resolver seus problemas.
    Quando (e se) você quiser conversar, estou às ordens. E do lado de cá fico na torcida e oração para que as coisas melhorem.
    Força!
    Beijos.

    Curtido por 3 pessoas

  5. Val só posso te dizer para acreditar, mesmo que as coisas possam ser impossíveis enquanto estamos tentando atravessar a montanha, pense em tantas outras em que você já passou, isso com certeza de dará força para crer que sim, você pode atravessar mais uma! 😉 Bjos da Cah (P.S. Stay strong, be happy)

    Curtido por 3 pessoas

  6. Val, tenta viver um dia de cada vez. Uma necessidade de cada vez. E quando precisar desaguar, seja com palavras, colagens ou lagrimas simplesmente permita-se!
    A Maternidade solo me ensinou muito sobre não tentar impor tempo ao meu próprio tempo e acho que você que também cuida de alguém que depende de você, consegue entender essa minha frase que pode parecer desconexa pra quem tem todo o tempo só pra si. Doar-se não é tarefa fácil e as vezes a gente desaba mesmo.
    Eu hoje fiz as indicações do Prêmio Dardos Blogger, lá no histericas e o seu blog não poderia faltar lá ❤
    Te indiquei com muito carinho e espero que você clique nesse link e sinta meu abracinho =)
    https://histericaspontocom.wordpress.com/2016/07/06/premio-dardos-blogger/

    Beijos!

    Curtido por 3 pessoas

    1. Oi, Amanda, muito obrigada pelas palavras, foram especiais para mim. Nunca tinha parado para pensar no tempo como você falou… e é verdade. Esse tempo desejado versus tempo real é tão complicado. Não sabia que você era mãe, hoje é um dia de novidades 🙂 Obrigada pela indicação ao Prêmio Dardos, adorei 🙂 Beijos e muito obrigada por suas palavras e por se preocupar. ❤

      Curtido por 3 pessoas

      1. Engraçado como rola uma simpatia mesmo que não tenhamos intimidade, né? Eu espero que amanhã o tempo seja mais generoso contigo ou que tuas emoções estejam mais brandas dentro de ti ❤ Um Beijo enorme.

        Curtido por 3 pessoas

  7. Tristeza nos deixa sempre muito vulneráveis… Não conseguimos enxergar o que está além do que sentimos em nosso coração. Externar este sentimento ajuda à exorcizar nossa agonia e aliviar nossa alma. É através da poesia encontramos um certo alívio. Adorei seu post. Bjs

    Curtido por 3 pessoas

    1. Oi, Bia, obrigada pelas palavras. Fui diluindo o sentimento durante o dia e acho que consegui enxergar algumas coisas a mais 😉 Obrigada pela visita e pelo comentário. Venho acompanhando seu blog também. Bjos!

      Curtido por 2 pessoas

  8. Vá coração e dará tudo certo 🙂 porque tudo, tu do 🙂 alguém disse que nome é destino 🙂 Eu acredito nisso 🙂 quem toca dentro de você todo dia é seu coração 🙂 toque com ele 🙂 e dará tudo certo 🙂 o “these open doors” dessa musica me lembra quando faz o login para escrever, é como uma chave em que você abre a porta 🙂 é a porta que você quer entrar 🙂 https://www.youtube.com/watch?v=o1Xsj9-3Pvo

    Curtido por 2 pessoas

  9. Bom dia, Val! Estava lendo o seu resumo semanal e acabei aqui. Espero que esteja se sentindo melhor, flor! Eu estava lidando com a minha montanha mês passado. Este mês, ela me deu uma folga, mas, como você disse, é um exercício diário. Gostei muito do seu post. Escrever sempre foi uma forma de terapia. Enquanto lidava com a tristeza até cogitei em criar um blog para escrever sobre ansiedade. (Conteúdo, acho, não faltaria.)

    Você escreve muito bem, eu adoro o seu blog!

    Tenha uma excelente semana!
    Beijo,
    Brenda

    Curtido por 2 pessoas

    1. Oi, Brenda, bom dia! Obrigada pelas palavras… Agora estou vivendo uma coisa que não vai passar… Sabe o tipo de situação que vai continuar a ser assim por um bom tempo, então é melhor você aprender a lidar? Ou vou ficar louca todos os dias… Obrigada pelas palavras, seria legal você criar um blog pessoal, sem tanta obrigação de postar e sem conteúdo relacionado ao SLET. Escrever faz bem. Às vezes quando a gente põe para fora é que percebe o que está sentindo, né? Muito obrigada por suas palavras… Bjos! E obs. estou pensando bastante no post 😉

      Curtido por 2 pessoas

  10. Entendi. Você tem razão. É aprender a lidar mesmo com a situação. (Vi o tanto de comentários lindos que você recebeu neste post. Isso é muito bonito! Estamos sempre aqui se precisar!) E sobre escrever… Nossa, essa sempre foi a minha forma mais eficiente de terapia. Não é a toa que eu mantenho diários desde os 13 anos. Hahaha Colocar meus pensamentos no papel é a minha maneira de tirá-los da mente. Só assim eu consigo entendê-los e colocá-los em ordem! 🙂

    Estou ansiosa para o guest post deste mês! Tenho certeza que vai ficar lindooo! Beijo! =D

    Curtido por 2 pessoas

  11. Nem preciso acrescentar mais nada, mas quero! =)
    Olhando pra trás, vejo que tem muita gente que lhe apoia e lhe quer bem. Não lhe conheço, mas lhe ofereço um pouquinho da minha energia (não posso oferecer muito, porque a preguiçosa aqui já não tem muito no estoque XD)… As minhas boas energias via telepatia chegarão hoje e sempre pra vc, pode confiar! 😉
    Cuidar de outrem não é moleza pra ninguém, mas eu acredito que vc irá além de si mesma e conseguirá, com muita destreza, chegar ao pico dessa montanha! Procure olhar a paisagem, não espere chegar até o pico para desfrutá-la! Sei que parece bobagem, mas é verdade que ajuda ver as pequeninas coisas boas de nosso dia a dia… Pode ser que a somatória resulte negativa, mas sempre haverá pontos positivos… Concentre-se neles! É um exercício diário dificultoso, mas que nos dá muito consolo.

    Espero não ter sido insensível demais com minhas colocações, mas eu piamente acredito que qualquer situação pode se transformar pela direção de nosso olhar.

    Vença sua montanha, Val ❤ Estou na torcida!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Que comentário lindo, amei 🙂 Obrigada pelo tempo que você despendeu escrevendo para mim. Às vezes, algumas coisas precisam ser repetidas para que a gente aprenda. Uma hora pode ser que dê um plim… hehe… Muito obrigada pelos conselhos, adorei. Bjos!! ❤

      Curtido por 1 pessoa

      1. Que bom que vc gostou! 🙂
        Imagina, senti-me impelida a lhe escrever depois de ler o seu desabafo. ❤
        Sim, lembra do ditado: "água mole em pedra dura, tanto bate até que fura"? Acho que faz muito sentido quando o assunto é aprendizado!
        Um forte abraço \(^.^)/

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s