Livros de 2016 e metas para 2017

Hello e FELIZ 2017!

Este ano fiz 18 posts sobre livros aqui no blog. Descontando dois infantis e um que na verdade não reli, foram 15 leituras no ano. Poucos, mas muito bons 🙂 Também li outros dois sobre os quais não falei, mas comento no final.

livros 2016 análises dicas melhores

  1. O Conto da Ilha Desconhecida, José Saramago
  2. O Sol É para Todos, Harper Lee
  3. O Curioso Caso de Benjamin Button, F. Scott Fitzgerald
  4. Jane Austen: Uma Vida Revelada, Catherine Reef
  5. A Morte de Ivan Ilitch, Lev Tolstói
  6. O Último Voo do Flamingo, Mia Couto
  7. O Velho e o Mar, Ernest Hemingway
  8. Cem Anos de Solidão, Gabriel García Marquez
  9. O Coração e a Garrafa, Oliver Jeffers
  10. Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres, Clarice Lispector
  11. O Filho de Mil Homens (parte 1 e parte 2), Valter Hugo Mãe
  12. Assassinatos na Rua Morgue e Outras Histórias, Edgar Allan Poe
  13. A Metamorfose, Franz Kafka
  14. O Casaco de Pupa, Elena Ferrandiz
  15. Grande Irmão, Lionel Shriver
  16. Erros Fantásticos, Neil Gaiman
  17. A Insustentável Leveza do Ser, Milan Kundera
  18. Alta Fidelidade, Nick Hornby

1. Um dia estava na Biblioteca do Parque Villa Lobos e resolvi ler um Saramaguinho 🙂 Ele é meu autor mais querido e sabia que não ia me arrepender. “O Conto da Ilha Desconhecida” é curto, mas tem aquele gostinho característico dele, além do sentimento especial envolvido por ter sido o primeiro post sobre livro aqui no blog!

2. “O Sol É para Todos” foi o primeiro livro que comecei a ler no ano e fazia um tempinho que não lia nada. É um livro delicado, repleto de esperança.

3. “O Curioso Caso de Benjamin Button” chegou surpreendendo na Coleção da Folha, pois eu não sabia que o filme era inspirado em um livro, muito menos do mesmo autor de O Grande Gatsby. Inspira mais reflexões e de certa forma é mais amargo, porém preferi o livro ao filme.

4. Há alguns anos, eu adorava ler biografias, principalmente de artistas e músicos, mas perdi um pouco o gosto por esse tipo de leitura. Esse pequeno livro sobre a Jane Austen foi uma grata surpresa que gerou algumas reflexões sobre o contexto em que a escritora estava inserida.

5. Em um dos meus posts preferidos aqui no blog, a proposta era compartilhar um pouco sobre “como ler os russos” . Minha face professora revelada 😉

6. “O Último Voo do Flamingo” foi a não-leitura do ano! Eu dei uma resumida em outro texto que eu tinha aqui sobre esse livro, da época da faculdade. Foi legal relembrá-lo, pois a análise desse romance foi um dos primeiros trabalhos mais autorais que fiz na graduação. Saudade.

7. Eis meu livro favorito do ano: “O Velho e o Mar“. Uma releitura que falou muito sobre mim mesma, sobre meu cansaço este ano, essa sensação dos tubarões que não param de chegar. Maravilhoso. Nunca tinha lido nada do Hemingway e amei muito. Final lindo, lindo demais. Se tivesse que indicar um do meu ano seria este.

8. Fazia muito tempo que eu queria terminar a leitura de “Cem Anos de Solidão“. O post foi especial para mim porque eu fiz aquela animação em gif, deu um trabalhinho. 😉 Eu gostei muito do romance, chorei e tal, mas sinto que faltou algo na minha leitura. Não sei se foi a afobação ou o quê, mas não virou um favoritaço.

9. “O Coração e a Garrafa” foi meu infantil favorito lido este ano. Mano do céu. Tento nem ficar lendo muito porque vem a maior choradeira. Como um livro infantil pode ser tão tocante assim?

10. Claricinha chegou com seu Livro dos Prazeres. Um livro sobre pureza e respeito aos sentimentos e as pessoas, sobretudo.

11. O Filho de Mil Homens é o post mais visitado aqui do blog, todo dia chega alguém atrás dele 🙂 Talvez por eu ter traduzido as epígrafes. Um livro da nossa época, sobre as nossas dificuldades. Acho que o amor é algo que estamos tentando ressignificar, e esse livro é muito sobre isso.

12. Bom, como eu disse aqui, o livro do Edgar Allan Poe não foi exatamente um favorito, mas é uma leitura que a gente tem que conhecer, acho. É um estilo que não me agrada muito, na verdade. Orangotangos e tal. Talvez seja também porque não é que eu goste muito de histórias, eu gosto de personagens profundos, diálogos, sentimentos, não exatamente a arte da narrativa, sabe?

13. “A Metamorfose” também foi releitura e me emocionou muito, é um livro para abrir nossos olhos sobre diferenças e expectativas.

14. “O Casaco de Pupa“, aquele livro sobre medos, são páginas de identificação… até a última, porque aí precisa ser muito evoluído mesmo para fazer como a Pupa 😉

15. “Grande Irmão” foi o primeiro livro que li da Lionel Shriver e gostei bastante do jeito inteligente dela de falar sobre questões do nosso tempo. No final do livro, eu estava prometendo ter uma vida saudável, pena que não durou muito.

16. “Erros Fantásticos” foi um livro fofo, bom para dar aquele ânimo mas de uma maneira real, não tão clichê. Ele te diz o tempo todo que é ok errar, não precisa se sentir tão loser assim. 🙂

17. Ah, esse livro que eu queria ler fazia uns dez anos. Melhor começo de livro do ano. Senti que estava na minha praia. Ao terminá-lo, senti também que vem releitura por aí e se houver mesmo, volto para contar 😉

18. O livro com a leitura mais “apetitosa”, cheia de identificações e desconstruções também. É uma narrativa que tenta dar ao amor algum lugar possível, e acho que é o que estamos procurando, né? Não falei no post, mas achei super interessante como ele desconecta algumas “verdades” do amor. Se você ler, vai perceber!

infantis

Não fiz post exclusivo para todos os livros infantis que li, só sobre esses dois espetaculares mesmo.

Eu também reli “O Pequeno Príncipe”, por conta de um concurso cultural, mas acho que ainda não tinha o blog na época. Amo muito esse livro. Na verdade, acho que divido as pessoas entre quem gosta do Pequeno Príncipe e quem não gosta! Hehe Mas, calma, tudo tem jeito, você pode ser recuperável. 😉

O outro lido foi do Gregório Duvivier, mas achei mais ou menos então não falei nada dele, queria comentar apenas livros que amei ou que tenham motivo especial para estar aqui.

Agora…

2017

Minha capacidade de cumprir metas é meio limitada, então estou pensando em algo mais geralzão…

  1. Todo ano quero ler pelo menos um Saramago, até terminar a obra. Só que não queria ler aqueles cadernos e livros de viagens, tudo bem? Ano que vem pretendo ler O Evangelho Segundo Jesus Cristo ou algum dos menores.
  2. Todo ano também um russo. Era para eu ter lido Irmãos Karamazov este ano, mas ano que vem já seria muito bom. Não aguento mais não ter lido esse livro. Ele fica no meu criado-mudo me olhando, é intimidador.
  3. Pelo menos cinco livros da minha Coleção da Folha. Foram 28 livros que comprei semana a semana, seria bom aproveitar, né? Memórias Póstumas de Brás Cubas parece estar em primeiro na fila.
  4. Contos da Clarice Lispector. Ganhei o livrão de Natal! Queria ler todos os contos. Não acho que seja tão difícil, porque eu amo muito os contos dela, já li alguns este ano, mas volto a eles sem problemas. Queria falar um pouco deles aqui no blog.
  5. Terminar os livros que comecei em 2016: Precisamos falar sobre Kevin, da Lionel Shriver, e “A Simples Beleza do Inesperado”, do Marcelo Gleiser.

Se eu fosse ousada, acrescentaria Grande Sertão: Veredas, mas acho melhor ser humilde. As metas aí de cima já estão ótimas!

Encerro este post com um agradecimento a quem veio aqui ao meu espaço este ano, me aguentou reclamando um montão, falando algumas coisas sem sentido às vezes, apagando posts, coisas do tipo. Acho que eu me encontrei no blog, mentalmente, mesmo que isso não transpareça na realidade. Rs!

Gosto de ter esse espaço para falar das leituras e é interessante como, quando estou escrevendo, muitas vezes veem mais ideias e associações à mente, então acaba sendo muito complementar à leitura. Fora os comentários que sempre são animadores e frequentemente acrescentam aos textos.

Parei de falar sobre música, porém 2017 parece ser um ano muito musical! Comprei uma vitrola que está para chegar e já tenho alguns discos, é como um novo hobby para mim e queria ir comentando um pouco sobre cada um dos álbuns que estou garimpando nos sebos e brechós de s.p.! Tenho um carinho especial por aqueles posts “Cinco músicas para gostar de…” e estão sobrando rascunhos do Milton Nascimento, Tom Waits, Secos e Molhados.

Também quero fazer uma nova categoria de posts sobre algumas delicadezas. Imagens, lugares, frases. Coisinhas assim.

Muito obrigada, leitor! 2016 foi um ano pesado, sabe. Alguns momentos de maior leveza vieram com o blog e pessoas muito meigas que dão aquela passadinha aqui.

Para você, um ano incrível… leituras especiais, bons sentimentos, muita inspiração e CORAGEM!

Beijos

Anúncios

36 comentários em “Livros de 2016 e metas para 2017

Adicione o seu

  1. Você faz jus ao ditado: o que importa é a qualidade não a quantidade. Suas leituras em 2016 foram excelentes! Tenho certeza que as de 2017 serão tão boas quanto. Um bom Ano Novo!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Obrigada!! 😉 Uma coisa, seria legal você deixar o link para o seu blog, aí quando você comenta, a gente pode clicar e fazer aquela visitinha 😉 Bjs e mto obrigada!! Ótimo ano!

      Curtido por 1 pessoa

  2. Val! Feliz ano novo, que 2017 seja um ano incrível e cheio de realizações 🙂 Quantas leituras incríveis ❤ Também tenho como meta iniciar as leituras dos livros da Coleção da Folha hahaha. Que neste ano possamos ter experiências maravilhosas de leitura. ❤ Bjos

    Curtido por 1 pessoa

  3. Cem anos de solidão do G. G Marques é ótimo. Já Metamorfose, embora muito aclamado, particularmente não me convenceu com essa pirotecnia toda em torno da obra do F. Kafka. É bom, mas na minha opinião,está longe de ser uma obra para o rol dos memoráveis. Parabéns pelo post, tudo que se lê é alimento para a mente e para a alma.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Hehehe Kafka não te “convenceu”? Essa foi engraçada 🙂 eu gostei mto da alegoria, e no momento da vida que o li pela segunda vez, houve muita identificação. Obrigada pela visita, até mais!

      Curtir

      1. Veja bem, não é porque é o Kafka que tudo que ele fez é inopinável. No caso, li Carta ao Pai me pareceu mais interessante do que Metamorfose, novamente aqui opinião particular. Mas ainda bem que as pessoas pensam e opinam distintamente, senão deixariamos de ser individuos para sermos coletivos, hehehe! Boa leitura!

        Curtido por 1 pessoa

      2. Li Carta ao pai tb, mas acho q precisaria ler de novo. Sei que cada um tem sua opinião, mas, quando se trata de um kafka, por ex., eu, pelo menos, trato com mais humildade. Pode não ter sido meu momento ou eu não ter repertório suficiente para aquele livro. Realmente não encaro nenhum livro desses como se eles q tivessem de me convencer de algo. Não sei se vc viu meu post sobre esse livro, mas lá conto que li duas vezes, na primeira achei o livro OK, na segunda foi difícil me recuperar, acho que pelo meu momento de vida mesmo. Cem anos de solidão, que vc citou, foi um livro que me tocou, mas não com a força, intensidade de um Saramago ou Dostoiévski, mas não acho que o problema esteja no autor, nem no livro, nem sequer que exista algum problema. Li um livro sobre música que fala sobre essa conjunção de fatores que levam à catarse, e é algo único e irreproduzível. Acho q a palavra que vc usou que me fez balançar a cabeça, pq eu vejo genialidade nesses autores e não começo a ler nada nessa posição de que eles tenham que me convencer de algo. O velho e o Mar foi outra leitura que da primeira vez não me pegou, mas é o livro mais catártico dos últimos tempos para mim, então acho que era isso q eu queria dizer. 🙂 Obrigada pelo retorno!

        Curtir

  4. Estou no início de cem anos de solidão e agora fiquei empolgada com sua opinião sobre ele! Também li a metamorfose no ano passado e também me tocou muito. Nunca mais pude matar uma barata sem pensar no gregor….

    Curtido por 1 pessoa

    1. Cem anos de solidão é o livro favorito de muita gente, temos q dar uma atenção especial a ele msm… 🙂 Metamorfose é tocante! Mas continuo sem dó de batatas… Hehehehe bjs!!

      Curtir

  5. To com o livro dos contos da Clarice aqui em casa pra ler também!! Ganhei de amigo oculto e to doida pra começar kkk
    E com certeza 2017 é bem musical! Cheio de festivais e milhares de shows! (haja dinheiro rs)
    Adorei seu blog! bjs, mills ^^

    Curtido por 1 pessoa

  6. Você leu dois dos meus livros preferidos em 2016: A insustentável leveza do ser e Alta fidelidade! Amo muito! ❤ Além, é claro, da Shriver diva, maravilhosa. Eu ainda não li Grande irmão, mas está na lista para 2017!

    Eu li O velho e o mar para a escola, quando adolescente, e não gostei. Talvez seja interessante relê-lo agora, adulta, porque com certeza será diferente.

    Beijos e um excelente 2017, Val!
    https://sobrelivrosetraducoes.com.br/

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi, Brenda!! O Velho e o Mar tb foi releitura e amei mto. Comecei Precisamos falar sobre o Kevin, mas estava ansiosa, parecia que as coisas não aconteciam logo no livro, sabe? hehe Mas vou retomar, estou muito curiosa para terminar esse livro! Bjs, Brenda, bom ano para você tb!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: